fale conosco   home
   
Aeroportos
Natal - Augusto Severo Internacional



O Aeroporto Internacional Augusto Severo foi construído durante a II Guerra Mundial com a finalidade de preparar uma base para operações de uma unidade tática de envergadura, a fim de enfrentar qualquer ameaça à segurança do hemisfério ocidental, servindo de base de apoio às forças aliadas.

De 1943 a 1945, o aeroporto foi usado em conjunto pelo Exército e Marinha dos Estados Unidos, pela Royal Air Force, pelas linhas comerciais e pela Força Aérea Brasileira. A manutenção e segurança das instalações eram feitas pelo Exército dos Estados Unidos no Atlântico Sul (USAFSA).

No dia 31 de março de 1980, o Ministério da Aeronáutica transferiu à Infraero a missão de administrar o aeroporto. Nesta mesma data foram inauguradas as reformas realizadas nas instalações do terminal de passageiros.

Em 24 de março de 2000 foi inaugurado o novo terminal de passageiros, com capacidade para 1,5 milhão de viajantes ao ano.

O aeroporto também é usado pela BATN (Base Aérea de Treinamento de Natal), uma das principais bases de instruções de pilotos de combate da Força Aérea Brasileira (FAB). A cada ano, a unidade recebe cerca de 65 aspirantes. Além dos seus 60 treinadores turboélice Tucano Embraer AT-27 Tucano e AT-26 Xavante, a base recebe uma leva de caças a jato Northrop F-5E/F, Dassault Mirage 2000 e Embraer AMX A-1de outras bases, que perfazem uma média mensal de 4.000 pousos.

No Aeroporto Internacional Augusto Severo há uma população fixa de mais ou menos de 1.400 pessoas (estando o sistema de credenciamento em atualização), distribuídos em todos os segmentos. Nele circulam diariamente entre 2.446 e 3.463 usuários em desembarque e entre 2.205 e 3.787 embarques. São realizados 32 vôos diários, 16 pousos de diversos destinos e 16 decolagens também de destinos diversificados. Os destinos e origens com as maiores freqüências são: Lisboa, Guarulhos, Brasília, Rio de Janeiro, Recife, Salvador, Fortaleza, Belo Horizonte e Fernando de Noronha. O Aeroporto Internacional Augusto Severo recebe, hoje, um grande número de vôos charters internacionais, vindo de Portugal, Espanha, Suécia, Argentina, Holanda, Grã-Bretanha e Itália.

O Aeroporto passou por três reformas: a primeira em 1957; a segunda em 1980, ano este que passou a ser administrado pela Infraero; a terceira reforma deu início em 26 junho de 1996, com a construção e modernização desse complexo aeroportuário no qual agregou novos itens de conforto e segurança para atender ao número crescente de usuários.

A ampliação da pista para pousos e decolagens representa para a economia do Rio Grande do Norte um salto já que o Estado passou a explorar mais e melhor o mercado de exportação internacional. Esse acréscimo estrutural serviu para posicionar o RN como pólo exportador de peixes e frutas típicas da região, gerando novos postos de trabalho e receitas. Já o terminal de passageiros foi contemplado com o fechamento e climatização de 8.000m² ao custo de R$ 1,9 milhão. Essa obra constituiu-se na instalação de 900 m² de vidro, aumentando a área climatizada para 11.500 m², inaugurada em fevereiro de 2002. A reforma do antigo terminal de passageiros, hoje Anexo Operacional atende a instalação da administração da Infraero, bem como órgãos públicos, parceiros da Infraero, como Polícia Federal, Anvisa, Polícia Militar, Receita Federal e Anac. Foram consumidos recursos de mais de R$ 60 milhões para a reforma do atual aeroporto. Esse investimento é o resultado da Infraero e o Governo do Estado, possibilitando através destas reformas, alavancar o desenvolvimento do turismo em Natal e no Rio Grande do Norte.

Complexo aeroportuário

Sítio aeroportuário
Área: 13.418.371,07 m²
Pátio das Aeronaves
Área: 36.924 m²
Pistas
Dimensões: 2.600 m x 45 m e 1825 m x 45 m
Terminal de Passageiros
Capacidade/Ano: 1.500.000
Área:11.560 m²
Estacionamento de automóveis
509 vagas
Estacionamento de Aeronaves
25 posições

























Natal - Augusto Severo Internacional

Recife Internacional, Gilberto Freyre

Pinto Martins, aeroporto de Fortaleza

CWB, Afonso Pena Internacional

Salvador: aeroporto da Boa Terra

Brasília: no coração do Brasil

Manaus, gateway do norte

Las Vegas: aposta certa

Düsseldorf: paraíso dos entusiastas

Funchal: pura diversão

Uruguay: MVD e PDP

CGR: aeroporto da nova fronteira

FLN: magic island airport

Congonhas, um retrato cheio de saudade

SXM Jóia do Caribe

Madrid ¡Vale!

Johannesburg 2004 - Cada vez melhor

DCA: no centro do poder

Copenhagen: segredos desvendados

GIG - Minha alma canta

Narita, aqui tira foto, né?

Frankfurt: O Colosso Alemão

Viracopos: quem foi Rei...

Santos Dumont, o mais belo do mundo - Parte 2

Santos Dumont, o mais belo do mundo - Parte 1

Flughafen München: aeroporto-modelo

La Guardia: no coração da maçã

Inchon: a cidade alada

JFK, a Meca- Parte 1

JFK, a Meca- Parte 2

Fort Lauderdale: o outro

Amsterdam: alto tráfego

Manchester: vale conhecer

Anchorage não é uma fria

Pampulha, coração das Gerais

Bangkok, exótica até no aeroporto

Auckland vale a viagem

Curitiba, nasce um pólo cargueiro

Lisboa: poucos destaques

Porto Alegre, tradição na terra da Varig

Atlanta, o mais movimentado

Guarulhos, hub sulamericano

Palma de Mallorca: paraíso charter

Genebra, Oriente Médio europeu?

Santiago, gateway para os Andes

Caracas, Portão do Caribe

Osaka/Kansai, a ilha

Charles de Gaulle, le camembert

Aeroparque: vá antes que acabe

Havana: Antonovs e charutos

Lima, fantasmas incas

Sydney, paraíso dos spotters

República Dominicana: sol, mar e aviões